ORTODONTIA INTERCEPTIVA, O QUE É ISSO?

A Ortodontia é uma especialidade da medicina dentária que se concentra na correcção óssea e dentária, bem como nas estruturas faciais.

O seu objectivo é atingir os padrões estéticos decididos em conjunto com o paciente, o profissional e, nas crianças mais pequenas, os pais também estão envolvidos.

O QUE É A ORTODONTIA INTERCEPTIVA?

A ortodontia precoce baseia-se no conhecimento dos factores que causam as más oclusões, os factores etiológicos. Estes devem ser identificados e eliminados através da adopção de medidas terapêuticas mínimas adequadas.

A ortodontia interceptiva está incluída na ortodontia precoce, e o seu objectivo é aproveitar o crescimento da criança para corrigir e melhorar possíveis más oclusões ou malposições dentárias.

Durante o crescimento de uma criança, são formadas funções compensatórias, uma adaptação das estruturas, bem como alterações musculares que aumentam possíveis disfunções orais. Este é um ciclo fechado em que o tecido ósseo é alterado.

A ortodontia interceptiva também ajuda a corrigir estas possíveis disfunções a fim de melhorar ou evitar possíveis alterações ósseas.

TIPOS DE DISFUNÇÕES

As disfunções podem ser classificadas através do estabelecimento de graus do problema funcional existente. Os principais tipos de disfunções são os seguintes:

  • Nares colapsadas
  • Hipertrofia adenoideana
  • Hipertrofia da tonsil
  • Lacre labial incorrecto
  • Respiração bucal
  • Mobilidade da língua

COLAPSO DAS NARES

Os nares em colapso devem-se ao facto de o paciente fazer um esforço extra com as asas do nariz, dilatando e/ou colapsando-as.

Existe uma classificação específica, de 0 a 5, dependendo do grau de colapso das narinas, sendo 0 quando existe uma dilatação correcta de ambas as narinas e 5 se o colapso for total.

É estipulado que a partir de um valor de tipo 3 de colapso, o tratamento deve ser considerado. Este tratamento consiste em um estimulador nasal.

O estimulador nasal é um dispositivo para uso nocturno em forma de narinas com um eixo central que as une para evitar a inalação. Isto aumenta à medida que o diâmetro das narinas se alarga, aumentando o nível de oxigenação.

É uma indicação clara se, além das narinas colapsadas, há respiração oral, o paciente é um roncador ou foi submetido a uma rinoplastia (cirurgia de correcção do nariz).

HIPERTROFIA ADENOIDEANA

Através de um estudo cefalométrico dos valores da radiografia lateral do crânio, avalia-se a área específica da via aérea, para que se possa estabelecer uma classificação de 0, se houver uma operação nas adenoides, a 5, se estas forem muito grandes e obstruírem totalmente a orofaringe.

HIPERTROFIA DAS AMÍGDALAS

A hipertrofia da amígdala deve ser tratada cirurgicamente quando as amígdalas são muito grandes, pois a língua empurra e exerce uma força para a frente causando a vestibulização dos dentes superiores da frente (puxar para a frente) e os dentes inferiores da frente para a lingualização (puxar para trás), causando a má oclusão.

SELAGEM LABIAL INCORRECTA

Se o selo labial estiver incorrecto entre o lábio superior e inferior, o selo correcto deve ser estimulado com estimuladores labiais.

Este é um dispositivo que faz passar o lábio superior sobre o lábio para fazer o selo labial. Além disso, aumenta o tónus muscular e ajuda a reposicionar a língua.

A utilização de um estimulador labial é essencial se houver incompetência labial, o lábio superior é curto, o sorriso é gengival ou a deglutição é atípica.

RESPIRAÇÃO BUCAL

A respiração bucal cria uma alteração da zona oral.

O obturador de boca fechada torna impossível respirar através da boca, o que obriga a respirar através do nariz. Este aparelho também aumenta o tónus muscular dos lábios.

MOBILIDADE DA LÍNGUA

Com o exame da mobilidade da língua, o padrão de deglutição ou a posição postural podem ser observados, marcando o movimento do frenulado lingual.

Este exame consiste em analisar a mobilidade, mantendo a boca bem aberta e tentando tocar o palato anterior com a ponta da língua. Assim, a mobilidade da língua é classificada de 1, se a ponta da língua tocar no palato, a 5, se a ponta da língua não ultrapassar os incisivos internos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

EnglishPortuguêsEspañol